Sete Filmes para Ensinar Crianças e Adolescentes Sobre Impactos das Mudanças Climáticas

Sete Filmes para Ensinar Crianças e Adolescentes Sobre Impactos das Mudanças Climáticas

Que a Terra sofre com as mudanças climáticas, não é segredo para ninguém. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), as previsões para 2023 indicam que a temperatura global pode ficar entre 1,08°C e 1,32°C acima da linha de base do período pré-industrial. Existe uma probabilidade cada vez maior de ultrapassar o limite de 1,5°C estabelecido pelo Acordo de Paris já na próxima década. No Brasil, se esse aumento continuar, as mortes relacionadas ao calor podem aumentar em 3% até 2050 e 8% até 2090. Além disso, é previsto que as enchentes se tornem mais frequentes e intensas, com a população afetada por esse fenômeno triplicando até o final do século, principalmente nos estados da Região Norte.

Algumas das consequências ambientais – umas já reais e outras ainda prováveis -, causadas pela crescente poluição, podem ser vistas em obras cinematográficas, que são instrumentos fundamentais para conscientizar a população sobre a preservação do meio ambiente. O professor de Geografia do Colégio Positivo, Wilson Guth Costa, selecionou alguns filmes que ajudam a ensinar crianças e adolescentes sobre os efeitos das mudanças climáticas.

  • WALL•E (2008)

Essa animação retrata, de forma poderosa e comovente, um futuro distópico no qual a Terra é devastada pela poluição e pelo consumismo desenfreado. Além disso, as cenas enfatizam a importância da sustentabilidade, do cuidado com o planeta e da responsabilidade individual na preservação do meio ambiente. “É possível perceber o contraste entre a natureza degradada e a esperança de um futuro melhor, inspirando os espectadores a refletir sobre os impactos de suas ações no meio ambiente e a buscar soluções para os problemas ambientais. Com uma narrativa emocionante e personagens cativantes, WALL•E consegue transmitir a mensagem de forma acessível e motivadora, despertando a consciência ambiental e estimulando mudanças positivas de comportamento”, detalha o professor.

Classificação indicativa: Livre

Onde assistir: Disney+

  • Nausicaä do Vale do Vento (1984)

O filme japonês aborda, de forma profunda, por meio da protagonista, a relação entre os seres humanos e a natureza, ressaltando a importância da harmonia e do respeito pelo meio ambiente. “Também trata de questões como a degradação ecológica, a poluição e a ameaça de extinção de espécies, levando os espectadores a refletir sobre as consequências destrutivas da exploração irresponsável dos recursos naturais. Além disso, transmite uma mensagem de esperança e resiliência, mostrando como a compreensão e a cooperação podem levar a soluções sustentáveis e à restauração do equilíbrio ambiental”, descreve Costa.

Classificação indicativa: 12 anos

Onde assistir: Netflix

  • Ainbo – a guerreira da Amazônia (2021)

“A história retrata a jornada da jovem Ainbo em defesa da Amazônia, destacando a importância da preservação da floresta e da biodiversidade. Aborda temas como desmatamento, poluição e exploração predatória dos recursos naturais, despertando a consciência dos espectadores sobre os impactos negativos dessas atividades”, relata Costa, apontando que o filme ainda ressalta a cultura e os valores dos povos indígenas, mostrando a relação harmoniosa com a natureza e a necessidade de proteger os territórios, promovendo a conscientização e a valorização do meio ambiente.

Classificação indicativa: Livre

Onde assistir: Prime Video e Telecine

  • Rio (2011) e Rio 2 (2014)

O educador explica que a saga de filmes Rio retrata, de forma vibrante e colorida, a beleza e a importância da natureza, especialmente a biodiversidade e os ecossistemas das florestas tropicais. Ressalta a conservação da Amazônia e a proteção das espécies em risco, como o papagaio-azul. “Além disso, os longas abordam questões como o tráfico de animais e a destruição do habitat natural, levando os espectadores a refletir sobre os impactos negativos da ação humana. Com personagens carismáticos e músicas animadas, os filmes conseguem entreter e educar, incentivando a empatia e a responsabilidade individual na preservação da natureza”, revela.

Classificação indicativa: Livre

Onde assistir: Disney+

  • O Lorax: Em Busca da Trúfula Perdida (2012)

O Lorax apresenta uma história envolvente e lúdica, que evidencia os problemas da exploração desenfreada dos recursos naturais e os impactos negativos que isso causa na natureza. Traz temas como desmatamento, poluição e ganância corporativa, levando os espectadores a refletir sobre a importância da conservação ambiental e da responsabilidade coletiva. “O filme enfatiza a necessidade de agir de forma sustentável e de preservar a biodiversidade, transmitindo uma mensagem de esperança e de cuidado com o planeta”, destaca o professor.

Classificação indicativa: Livre

Onde assistir: Netflix e Prime Video

  • Era uma vez na floresta (1993)

“A obra retrata, de forma encantadora e educativa, a interação entre os animais e o meio natural, destacando a importância da preservação dos ecossistemas, da conservação da biodiversidade e do equilíbrio ecológico”, detalha o professor, relatando que o filme aborda questões como poluição, desmatamento e destruição dos habitats, proporcionando uma experiência educativa que remete à proteção do meio ambiente.

Classificação indicativa: Livre

  • Tarzan (1999)

Essa animação conta a história de um menino criado na selva, destacando a importância da harmonia entre os seres humanos e a natureza, enquanto aborda a destruição do habitat natural dos animais e o impacto da exploração desenfreada dos recursos naturais. “Além disso, o filme ressalta a necessidade de conservação da biodiversidade e da proteção dos ecossistemas, com uma mensagem de respeito pela natureza e a valorização das conexões entre os seres vivos, incentivando o espectador a refletir sobre seu papel como guardião do meio ambiente e a adoção de comportamentos mais sustentáveis”, finaliza Costa.

Classificação indicativa: Livre

Onde assistir: Disney+

Sobre o Colégio Positivo

O Colégio Positivo compreende sete unidades na cidade de Curitiba, onde nasceu e desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo – Júnior, o Colégio Positivo – Jardim Ambiental, o Colégio Positivo – Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo – Hauer, o Positivo International School, o Colégio Positivo – Água Verde e o Colégio Positivo – Boa Vista atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à educação e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Em 2016, o grupo chegou em Santa Catarina – onde hoje fica o Colégio Positivo – Joinville e o Colégio Positivo – Joinville Jr. Em 2017, foi incorporado ao grupo o Colégio Positivo – Londrina. Em 2018, o Positivo chegou a Ponta Grossa (PR), onde hoje está o Colégio Positivo – Master. Em 2019, somaram-se ao Grupo duas unidades da escola Passo Certo, em Cascavel (PR), e o Colégio Semeador, em Foz do Iguaçu (PR). Em 2020, o Colégio Vila Olímpia, em Florianópolis (SC), passou a fazer parte do Grupo. Em 2021, a St. James’ International School, em Londrina (PR), integrou-se ao grupo. Em 2023, o Positivo chega a São Paulo, com a aquisição do Colégio Santo Ivo, e passa a contar com 17 unidades de ensino, em oito cidades, no Sul e Sudeste do Brasil, que atendem, juntas, aproximadamente 18,5 mil alunos desde a Educação Infantil ao Ensino Médio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *