ONG de Defesa da Vida Marinha Recruta Artistas do Punk e Metal para Conscientizar Sobre Metais Pesados

ONG de Defesa da Vida Marinha Recruta Artistas do Punk e Metal para Conscientizar Sobre Metais Pesados

Artistas seguem ética vegana, e compuseram música “Ciclo Metal” como alerta sobre relação entre a saúde do mar e dos seres humanos; fãs terão acesso a single e vídeo clipe nas plataformas de streaming, além de camisetas personalizadas

Uma super banda de rock formada por alguns dos principais artistas do punk e metal do Brasil e exterior. Essa é a proposta da Heavy Metals Band, projeto musical inédito em defesa da vida marinha e conscientização sobre a contaminação de peixes por metais pesados. 

A banda foi criada em apoio a Sea Shepherd Brasil, entidade de proteção do oceano, e tem como integrantes artistas veganos ou vegetarianos que apoiam a causa. Entre eles, Rodrigo Lima, vocalista da banda Dead Fish, Dirk Verbeuren, baterista do Megadeth, Juninho Sangiorgio, baixista do Ratos de Porão, e Iara Bertolaccini, ex-guitarrista da Blastfemme.

Segundo Nathalie Gil, Presidente da organização, o objetivo é sensibilizar  as pessoas de que nossa saúde e a do oceano estão entrelaçadas. “À medida que mergulhamos, literalmente, mais fundo na consciência ambiental, entendemos que não apenas as águas estão ficando doentes com a poluição, mas nós como humanidade também. O que colocamos no oceano afeta toda a vida marinha e também a nós mesmos”.

O projeto contempla o lançamento do single “Ciclo Metal” em português e uma versão em inglês, ambos compostos em parceria com os artistas. Idealizado pela agência Wieden+Kennedy São Paulo e produção de áudio da Mugshot, o projeto conta com, além da música, um videoclipe criado pelo estúdio britânico Fromm, especializado em arte 3D e ilustrações, e está disponível nas principais plataformas de streaming. 

Fora de ritmo

Estudo científico realizado no Brasil e publicado no jornal “Regional Studies in Marine Science”, da Elsevier, revelou que 100% das espécies de peixes pesquisadas tinham algum metal pesado em seu organismo. Para alertar sobre casos como esse, a Sea Shepherd Brasil seguiu mais uma de suas estratégias radicais de direcionar à causa do oceano, e encontrou na criação da banda Heavy Metals uma maneira não convencional para dialogar com o público.

Dentre os principais metais pesados encontrados nos mares estão o mercúrio, arsênio, chumbo e bário, que são consumidos por pequenos animais, se tornam alimento para seres maiores e, assim, vão acumulando essas substâncias até chegar à mesa do ser humano, principalmente, se vindos de espécies que são topo de cadeia, portanto, com maior acumulação de contaminantes. Esse é o caso do atum, salmão e o tubarão, que no Brasil consumimos sob o nome de cação. Este movimento de mudança é importante, já que o Brasil é o maior consumidor de tubarão do mundo. 

De acordo com estudo indicado pela OMS, a ingestão desses metais pesados pode estar associada ao aumento do risco de câncer e outras complicações no sistema nervoso, endócrino e reprodutivo. A notícia vai na contramão amplamente propagada de que é saudável o consumo de peixe. Segundo a nutricionista, Alessandra Luglio, metais pesados são uma ameaça potencial para a saúde humana. “A ingestão prolongada de arsênio e cádmio pode ocasionar lesões e câncer de pele, danos ao sistema nervoso e doenças no sistema circulatório, enquanto chumbo e mercúrio, quando ingeridos, afetam o sistema nervoso, sobretudo em crianças, bebês e fetos em desenvolvimento”.

“Transmitir essa mensagem como recurso audiovisual é uma maneira de atingir pessoas que talvez nunca tivessem acesso a esse tipo de conscientização. Esperamos que a banda possa fazer com que as pessoas repensem esse tipo de consumo, ou se conectem com outro tipo de iniciativa de proteção do oceano. O mar não foi feito apenas para gerar vida para as pessoas comerem, tem todo um ecossistema de equilíbrio que precisa ser respeitado”, finaliza Juninho, que além de baixista da banda, co-produziu os arranjos da música.

Sobre a Sea Shepherd Brasil

A Sea Shepherd Brasil é uma organização de conservação marinha sem fins lucrativos fundada em 1999 pelo Capitão Paul Watson para atuar em defesa do oceano e combater atividades que destroem seus habitats. Com uma visão biocêntrica, a sua missão é proteger a vida debaixo d’água, seus únicos clientes, não cedendo ou se comprometendo com governos ou outras instituições. Por isso também que a instituição segue uma ética vegana, com alimentação e consumo à base de plantas em suas operações. A Sea Shepherd Brasil utiliza táticas inovadoras e ações diretas para defender, conservar e proteger a biodiversidade de nossos rios e mares e aplicar as leis de conservação, atuando com campanhas de conscientização, pesquisa, ações em campo e de influência de políticas públicas por todo o país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *