Mapeamento Aéreo Pode Ser Ferramenta Para Evitar Tragédias em Áreas de Risco

Mapeamento Aéreo Pode Ser Ferramenta Para Evitar Tragédias em Áreas de Risco

Tecnologia laser embarcada em avião obtém dados sobre topografia e riscos de inundações ou encharcamento do solo

As tragédias ocasionadas pelas fortes chuvas, cada vez mais comuns, trazem à tona, mais uma vez, a reflexão sobre o papel do poder público no planejamento urbano das áreas de risco. A cada novo período de chuvas, o número de vítimas aumenta, enquanto ações preventivas não são desenvolvidas, e uma das soluções para o monitoramento das encostas pode estar no mapeamento aéreo desenvolvido aqui mesmo no Brasil. 

Trata-se de uma tecnologia embarcada em aviões da empresa Fototerra (https://fototerra.com.br/), capaz de identificar características do solo que serviriam de base para estratégias para assegurar o bem-estar da população nesses locais. É que o laser utilizado nesse tipo de mapeamento costuma atingir volume e profundidade três vezes maior do que um levantamento realizado por fotos de drones ou apenas com a visão no solo, atravessando até mesmo a vegetação. 

“Utilizamos um sistema, chamado LiDAR (Light Detection and Ranging – detecção e alcance de luz, em tradução livre), que gera pulsos durante o voo que quando refletidos mapeiam o solo”, explica Guilherme Brechbuhler, CEO da Fototerra. Nesse sistema, o reflexo do laser volta para a aeronave depois de ser lançado e possibilita que uma série de cálculos seja realizada. “São dados puros que nossa equipe estuda e cataloga para fornecer informações sobre o terreno avaliado”, completa. 

O detalhamento é bastante amplo, revelando a topografia – composição exata de uma superfície terrestre, incluindo formas, características, aclives e declives – e os riscos de inundações ou encharcamento do solo, dados essenciais para o planejamento urbano. Tudo isso em representações gráficas em 3D.

A cidade de São Paulo, por exemplo, foi a primeira da América Latina, em 2019, a disponibilizar o mapa do município obtido a partir da tecnologia LiDAR através do site GeoSampa. Mas, as informações podem ser aprofundadas em práticas de prevenção de riscos, com estudos direcionados.

“Felizmente, quando se pensa em habitação, é muito comum que se incluam tecnologias aéreas na resolução de problemas. Trabalhar com uma tecnologia avançada como essa nos dá agilidade e rapidez na obtenção de dados e resultados. Estamos falando de um mapeamento que pode ser coletado com antecipação aos momentos críticos para que as ações aconteçam antes dos desastres”, defende Guilherme. 

Sobre a Fototerra – https://fototerra.com.br   

A Fototerra é uma empresa de tecnologia da geoinformação fundada em São Paulo, em 1993, com competência e expertise em captura de dados através de sensores remotos, além de aquisição e processamento de dados geoespaciais e geodésicos. A Fototerra provê soluções em todas as áreas de geoprocessamento, dados topográficos e temáticos, incluindo desenvolvimento de software e de soluções GIS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *