Líderes da Indústria da Moda Desenvolvem 1,5 Milhão de Jeans Circulares

Líderes da Indústria da Moda Desenvolvem 1,5 Milhão de Jeans Circulares

Projeto The Jeans Redesign mostra como o design circular pode se tornar a norma no setor têxtil

As principais marcas, produtores e fábricas da indústria têxtil provaram que é possível redesenhar todo o portfólio de jeans de uma empresa para que sejam adequados a uma economia circular – e, ao fazer isso, demonstraram como a indústria pode aplicar o design circular para produzir tudo o que temos em nossos guarda-roupas. 

A Iniciativa de The Jeans Redesign – lançada pela Fundação Ellen MacArthur em 2019 – estabeleceu um padrão mínimo para que o setor criasse e produzisse peças alinhadas aos princípios da economia circular. As diretrizes abordaram critérios como durabilidade, rastreabilidade, reciclabilidade e utilização de materiais e processos seguros, reunindo 100 importantes stakeholders da indústria da moda, incluindo grandes marcas como C&A, Levi’S, Guess, GAP, Tommy Hilfiger, Banana Republic, Zara, Urban Outfitters, Primark e H&M. 

Os participantes se comprometeram a reimaginar esse ícone da moda – os jeans – e trabalhar em conjunto com parceiros da indústria em toda a cadeia de valor.

relatório de conclusão do projeto revela que:

  • 70% dos participantes superaram desafios de design e inovação para atender às diretrizes do projeto;
  • Entre 2021 e 2023, 1,5 milhão de pares de jeans foram redesenhados por marcas para atender às diretrizes – três vezes mais do que em 2021. Uma em cada nove marcas redesenhou pelo menos 40% do seu portfólio de jeans;
  • Mais de  dos participantes aplicaram os princípios do design circular além dos jeans para outras peças de vestuário, incluindo jaquetas, camisas, bolsas e chapéus;
  • Mais de  dos participantes agora possuem modelos de negócios, ou oferecem serviços, projetados para manter os jeans em uso. Exemplos incluem serviços de aluguel, revenda e reparo.

Participaram do projeto cem stakeholders de mais de 25 países. Seus casos de sucesso se tornaram exemplos para a indústria de como o design circular pode ser adotado por empresas para garantir que os jeans sejam utilizados por mais tempo, sejam feitos para serem reutilizados e sejam produzidos a partir de insumos reciclados ou renováveis e seguros.

O relatório também revelou onde existem obstáculos e como os stakeholders e formuladores de políticas públicas podem criar as condições adequadas para acelerar a mudança.

As empresas relataram desafios como ter que pagar um preço mais alto para obter os materiais adequados. Eles também enfrentaram dificuldades para desenvolver jeans com elasticidade que atendam às diretrizes. Além disso, para alguns critérios – como a remoção de rebites – foram encontradas soluções técnicas, mas escolhas de design fizeram com que eles continuassem sendo utilizados.

Para os formuladores de políticas públicas, as descobertas do projeto destacam a necessidade de introduzir políticas que criem condições equitativas como um padrão mínimo para todos os produtos. Também é fundamental que as políticas garantam que paguemos o verdadeiro custo de nossas roupas – um custo que inclui aqueles relacionados às mudanças climáticas, poluição e perda de biodiversidade.

“Os jeans sempre foram destinados a ser o início dessa jornada. Ao redesenhar os produtos para que sejam adequados a uma economia circular, estamos progredindo. Mas para desafiar verdadeiramente os modelos lineares convencionais em grande escala, precisamos ir além do redesenho dos produtos. Precisamos redesenhar os serviços, as cadeias de suprimentos e os modelos de negócios que entregam peças de vestuário e as mantêm em uso. O caminho a seguir está claro. É hora de acelerar o ritmo e a escala do progresso.” – Jules Lennon, Fashion Lead, Fundação Ellen MacArthur

A coleção criada com o projeto Jeans Redesign provou ser um ótimo protótipo para refinarmos e dimensionarmos nossos produtos circulares de forma mais ampla, incluindo esforços de design circular em toda a empresa. Aprendemos a importância de manter nosso DNA de moda enquanto aplicamos princípios circulares aos nossos produtos. Nosso próximo desafio será aplicar esses princípios em uma variedade maior de produtos e tipos de roupas” – Nicholas Lambert, Líder de Produto Circular, Primark Cares, Primark

Alcançar a verdadeira circularidade requer uma mudança holística de sistemas e uma mentalidade de aprendizado contínuo; precisamos de uma abordagem 360, com ação passo a passo em todas as etapas de nossas operações. Desde fornecimento responsável e design inovador até cadeias de suprimentos sustentáveis e modelos de negócios visionários, todos os aspectos devem contribuir para um ecossistema de moda regenerativo. Transformar um sistema inteiro pode parecer assustador, mas o progresso está em abordar e interconectar simultaneamente seus vários componentes. Devemos sempre manter o quadro geral em mente enquanto trabalhamos diligentemente em cada elemento separado. Felizmente, o caso de negócios para a transformação sustentável nunca foi tão forte ou atraente. Temos testemunhado resultados comerciais positivos na última década, provando que sustentabilidade e rentabilidade não são excludentes. Ao abraçar a circularidade, podemos abrir novos caminhos de sucesso enquanto protegemos nosso planeta para as futuras gerações.” – Esther Verburg, EVP de Negócios Sustentáveis e Inovação, TOMMY HILFIGER Global

Evolução em 4 anos

Os primeiros jeans redesenhados usando as diretrizes do projeto foram concluídos em junho de 2021. Naquele ano, os participantes relataram as barreiras, as soluções e as lacunas de inovação para desenvolver as peças e modelos de negócio. As diretrizes foram então atualizadas e os participantes tiveram mais dois anos para trabalhar nos seus portfólios.

Em 2021, os participantes relataram que algumas soluções para tornar os jeans adequados para uma economia circular eram limitadas (por exemplo, botões desmontáveis e fios de celulose) ou simplesmente ainda não existiam. Promover conversas entre os participantes e fornecedores foi fundamental para superar esses desafios e encontrar soluções que atendessem às diretrizes.

Agora em 2023, os participantes relataram que a colaboração continuou sendo fundamental para dar vida aos jeans circulares. Demonstrou-se colaboração para obter fibras à base de celulose produzidas com métodos orgânicos ou regenerativos, bem como na obtenção de materiais reciclados, sendo o conteúdo reciclado pós-consumo proveniente da reciclagem de vestuário a fonte preferencial de matérias-primas recicladas. As marcas e fabricantes também relataram trabalhar em estreita colaboração com seus fornecedores para garantir que as certificações orgânicas estejam em vigor e sejam rastreadas ao longo da cadeia de suprimentos. Além disso, algumas marcas relataram iniciar colaborações de longo prazo com fabricantes de roupas, acadêmicos e ONGs para garantir o futuro abastecimento de algodão orgânico.

Em 2023,  do grupo de participantes relatou fazer investimentos coletivos de mais de US$ 39 milhões para apoiar redesenho de tecidos e jeans, tornando-os adequados para uma economia circular. As marcas relataram pagar prêmios para obter e certificar materiais reciclados, orgânicos e componentes desmontáveis. Fabricantes de roupas e tecidos estão investindo em tecnologias inovadoras, especialmente para reduzir o uso de água. Outras áreas em que as marcas relataram fazer investimentos incluem aquisição de conhecimento, ativos fixos, inventário, capacidades e fusões e aquisições.

Conheça as diretrizes do The Jeans Redesign

A Fundação Ellen MacArthur estabeleceu algumas diretrizes que as empresas e fabricantes de tecido devem considerar ao redesenhar seus jeans de forma circular, sendo elas: 

  1. Jeans são projetados e fabricados para durar: Aumentar o número médio de vezes que as roupas são usadas apresenta uma oportunidade significativa para capturar valor e eliminar o desperdício na indústria têxtil. Projetar e produzir roupas que durem mais e oferecê-las por meio de modelos de negócios que aumentem seu uso mudaria a percepção de que roupa é um item de vida curta para um produto durável. Jeans produzidos de acordo com as diretrizes do The Jeans Redesign são feitos para resistir a um mínimo de 30 lavagens.
  2. Jeans são feitos para serem reutilizados: A forma como as roupas são feitas, incluindo como o tecido é construído e escolhido, raramente considera a reciclabilidade dos materiais quando eles não são mais usados. Convergir para uma paleta otimizada de materiais – incluindo misturas onde estes são necessários para a funcionalidade – e desenvolvê-los juntamente com processos de reciclagem altamente eficientes para esses materiais é um passo crucial para aumentar a reciclagem. Os jeans são projetados e fabricados para que possam ser efetivamente desmontados, refeitos ou reciclados. Portanto, é importante certificar-se de que quaisquer componentes adicionados ao tecido sejam fáceis de desfazer as tramas. 
  3. Jeans são feitos de material reciclado ou insumos renováveis e seguros: Saúde material refere-se à segurança – no que diz respeito à saúde humana e ao meio ambiente – dos materiais e outras substâncias que compõem um produto e que são utilizadas no processo produtivo, desde a geração da matéria-prima até o tratamento pós-uso. Substâncias usadas em todas as etapas do processo de produção geralmente permanecem nos têxteis, intencionalmente ou não. Isso levanta preocupações devido aos efeitos adversos que podem ter sobre as pessoas e o meio ambiente. Os impactos relatados variam de reações alérgicas, doenças respiratórias e aumento de casos de câncer em humanos até a perda da vida aquática. Alguns dos produtos químicos usados podem persistir no meio ambiente e podem se acumular ao longo do tempo.

Leia as diretrizes do The Jeans Redesign na íntegra

SOBRE A FUNDAÇÃO ELLEN MACARTHUR

A Fundação Ellen MacArthur, uma organização sem fins lucrativos com atuação global, desenvolve e promove a ideia de uma economia circular para enfrentar alguns dos principais desafios da atualidade, como a poluição por plásticos, as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade. A Fundação trabalha com, e inspira, empresas, governos acadêmicos e instituições globalmente para mobilizar soluções sistêmicas em grande escala. Em uma economia circular, os modelos de negócio, produtos e materiais são projetados para aumentar o seu uso e reuso, criando assim uma economia em que não há desperdício e tudo tem valor. Fundamentada em uma transição para fontes de energia renovável e materiais renováveis, uma economia circular é distribuída, diversa e inclusiva.

Mais informações: www.ellenmacarthurfoundation.org/pt

Para mais informações ou pedidos de entrevista, entre em contato com: emf@sherlockcomms.com

SOBRE A INICIATIVA DE MODA DA FUNDAÇÃO

A Iniciativa de Moda foi lançada pela Fundação Ellen MacArthur como ‘Make Fashion Circular’ na Cúpula de Moda de Copenhague em 2017 e reúne líderes de toda a indústria da moda para trabalhar com cidades, filantropos, ONGs e inovadores. Empresas de moda que fazem parte da Rede da Fundação incluem: Parceiros Estratégicos – Gucci e H&M Group, Parceiros – Inditex, Lacoste, Primark, PVH Corp., Ralph Lauren, Tapestry e Zalando, além de membros. A Iniciativa de Moda da Fundação está liderando esforços internacionais para combater o desperdício e a poluição, criando uma economia circular para a indústria, onde os produtos são utilizados por mais tempo, são feitos para serem refeitos e são feitos a partir de insumos seguros, reciclados ou renováveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *