Como a Vivalá Está Potencializando a Preservação Ambiental no Brasil por Meio do Turismo Sustentável

Como a Vivalá Está Potencializando a Preservação Ambiental no Brasil por Meio do Turismo Sustentável

Negócio social conquista certificação de carbono neutro e expande Expedições de Volunturismo pela Amazônia, Cerrado e Caatinga

Ao completar 7 anos de atuação no final de 2022, a Vivalá, negócio social que promove Turismo Sustentável no Brasil, ultrapassou marcas expressivas em seus indicadores de impacto socioambiental positivo: mais 100 Expedições em grupo de Turismo Sustentável, 1.700 viajantes, 8 mil horas de voluntariado, 200 pequenos negócios mentorados e R$ 1,75 milhão injetados diretamente em comunidades tradicionais brasileiras são algumas delas. 

Tudo isso sempre gerando experiências autênticas e transformadoras de viagens com propósito que permitem ao viajante – geralmente vindos de grandes cidades do sul e do sudeste – furar a bolha em que vivem e ressignificar sua relação com o Brasil e as populações tradicionais do país, como indígenas, quilombolas, ribeirinhos e sertanejos. O sucesso das Expedições é expresso por um índice de Net Promoter Score – NPS (em uma escala de 0 a 10, o quanto o viajante indica a Vivalá) acima de 9,5.

Mas a Vivalá vem provando que ainda há espaço para evolução quando o assunto é preservação dos biomas brasileiros. No início de 2023, a empresa conquistou a certificação de Neutralização de Emissões de Carbono e está multiplicando as opções de Expedições de Volunturismo em Meio Ambiente, que combinam o Turismo Sustentável com trabalho voluntário em parte da viagem.

Vivalá se torna Carbono Neutro

A preservação ambiental dos biomas brasileiros sempre foi um dos propósitos da Vivalá – Turismo Sustentável no Brasil, que acaba de ser reconhecida com o Certificado de Neutralização de Emissões, pelo projeto REDD+ Jari Amapá.

De acordo com Pedro Gayotto, diretor de operações e cofundador da Vivalá, é importante que a empresa voltada ao Turismo Sustentável seja protagonista nesse processo, não apenas compensando as emissões e realizando ações, mas também estimulando toda a rede de parceiros a adotar práticas sustentáveis, como geração de energia limpa, melhor gestão dos resíduos e trabalhos de regeneração ambiental nos destinos.

“Nossos roteiros acontecem em áreas protegidas e que sofrem pressão por desmatamento ilegal. Para nós, faz todo sentido compensar nossas emissões de CO2, nos aliando a um projeto que trabalha com reflorestamento e manutenção da floresta de pé”, comenta. 

Entre as ações que a Vivalá já adotou para a redução da emissão estão a diminuição ao máximo da necessidade de deslocamentos aéreos para a equipe e manutenção de toda a operação de escritório remota, garantindo que não há necessidade do time se deslocar de suas casas até o escritório. Também buscaram parcerias e estimularam planos de redução de impacto por parte das redes de parceiros, como geração de energia limpa e melhor gestão dos resíduos nos roteiros.

Validado e verificado pelos principais padrões internacionais em certificação de projetos florestais, o Certificado registrou seis toneladas de CO2 em reduções verificadas pela Vivalá. O projeto REDD+ Jari Amapá é uma parceria da Biofílica Ambipar Environment e o Grupo Jari (Jari Celulose e a Fundação Jari) e tem como objetivo a geração de créditos de carbono para a promoção da conservação florestal, beneficiando o clima, a biodiversidade e as comunidades da região de Laranjal do Jari e Vitória do Jari, ambos no Amapá. Para verificar o registro da Vivalá, na plataforma Verra Registry, clique aqui.

Volunturismo de meio ambiente 

Além da neutralização das emissões de carbono, a Vivalá apoia ações de preservação da biodiversidade brasileira por meio de suas Expedições de Volunturismo na área de Meio Ambiente.

Volunturismo são viagens que combinam o Turismo Sustentável com a experiência do voluntariado em parte do roteiro.

Atualmente, são três opções de para atuar nessa frente: a preservação de quelônios do Rio Negro, na Amazônia (AM), ou a atuação em Agroflorestas em dois destinos – em uma comunidade rural da Chapada dos Veadeiros (GO) ou no Quilombo do Remanso, na Chapada Diamantina (BA).

“O volunturismo de meio ambiente já estava em nossos planos como um potencializador de nosso impacto ambiental, em conexão também com o desejo de nossos ‘volunturistas’ por gerar impacto positivo ambiental enquanto viajam. Esperamos que, com esses projetos, consigamos não apenas ter um impacto sustentável, mas também regenerativo com o apoio que levaremos aos projetos parceiros”, complementa Gayotto.

Saiba mais sobre as expedições

Até 50% do valor investido pelos viajantes nas expedições da Vivalá é destinado à comunidade local. Em 2022, o negócio social voltado ao turismo sustentável atingiu a marca de R$ 1,5 milhão injetados nas comunidades tradicionais locais a partir da compra de roteiros que a Vivalá oferece nas mais diversas regiões do país. 

As expedições de Volunturismo em meio ambiente acontecem durante todo o ano, com duração de uma ou duas semanas, e não é necessário ter formação específica, apenas o desejo de contribuir com a conservação ambiental. As reservas podem ser feitas em qualquer época do ano, mediante disponibilidade de vagas e agendamento com antecedência mínima de 30 dias.

Com a ampliação das opções de destinos para Expedições de Volunturismo em Meio Ambiente no início de 2023, a Vivalá agora leva seu trabalho para três dos principais biomas brasileiros: a Amazônia, o Cerrado e a Caatinga.

Amazônia Rio Negro (AM): preservação da fauna

No primeiro caso, a viagem tem início em Manaus (AM), a partir de onde os viajantes são acompanhados até a comunidade de Lago de Acajatuba, dentro da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro. Com total imersão na cultura ribeirinha e cabocla, o volunturista atua diretamente na regeneração de vida marinha do Rio Negro, principalmente na conservação dos quelônios – as tartarugas da Amazônia – que estão ameaçados de extinção. 

De acordo com Murilo, um dos ribeirinhos responsáveis pelo projeto Quelônios do Rio Negro, a união do projeto com os volunturistas da Vivalá traz muitos benefícios para a comunidade, inclusive em conhecimentos e experiências. “Meu sonho é, daqui a 10 anos, soltar entre 8 e 12 mil quelônios todos os anos. Os resultados até agora são a satisfação ao perceber que estamos preservando e fazendo o melhor pela natureza, não somente para quem mora no local, mas também para quem vem visitar”, observa.

Chapada dos Veadeiros (GO): em defesa do Cerrado

Já no bioma Cerrado, a expedição acontece na zona rural de Alto Paraíso de Goiás, principal município da Chapada dos Veadeiros, mais especificamente no Sítio Encanto das Flores, parte da comunidade cristã-espírita Cidade da Fraternidade (Cifrater). Os viajantes poderão literalmente colocar a mão na terra ao atuar na agrofloresta do Sr. Fernando, aprendendo técnicas de plantio que quebram paradigmas a respeito da forma com que produzimos alimentos – um conhecimento praticado há séculos por povos originários e que é uma poderosa solução para a preservação dos biomas brasileiros, como o Cerrado. 

“A ideia (deste roteiro da Vivalá) surgiu da necessidade de utilizar os saberes, experiências e sítio como forma de movimentar um turismo consciente, que gere renda e fortaleça a comunidade. Participar de um roteiro como este é importante para ter consciência ambiental, saber que fazemos parte da natureza e somos corresponsáveis onde quer que estejamos. A produção Agroecológica é uma maneira consciente de se produzir alimentos”, afirma Fernanda Elias, arte-educadora ambiental e filha do Sr. Fernando.

Chapada Diamantina (BA): agroflorestas quilombolas

A mais recente Expedição de Volunturismo em Meio Ambiente acontece na Caatinga do interior baiano, mais especificamente no Quilombo do Remanso, a cerca de 30 minutos de Lençóis, principal município da Chapada Diamantina, região famosa pelo turismo de natureza, com belas trilhas e cachoeiras. Volunturistas que optam por este destino atuarão nos chamados quintais produtivos, pequenas agroflorestas de subsistência nos quintais da população, com atividades como: plantio agroflorestal, colheita, adubagem e apoio na gestão. 

O que está incluso nas expedições

Os roteiros incluem hospedagem para todas as noites, 3 refeições diárias (café, almoço e jantar) nas comunidades, com comida típica local e opções vegetarianas e veganas, transporte terrestre ida e volta das cidades de encontro (Manaus, Brasília ou Salvador) até os municípios mais próximos das comunidades no primeiro e últimos dias (chegada e partida da Expedição), acompanhamento de representantes da Vivalá na chegada à comunidade e seguro-viagem para todos os dias do roteiro. Não estão inclusas passagens aéreas da sua origem até as cidades de encontro, refeições fora das comunidades, bebidas e compras pessoais, como artesanatos e presentes. Em todos os destinos e durante todo o tempo, viajantes contam com o apoio remoto do time Vivalá e acompanhamento de anfitriões e representantes comunitários locais, o que faz com que a experiência seja muito mais enriquecedora e imersiva. 

As expedições custam a partir de R$ 2.660 e o pagamento pode ser feito por transferência (PIX) ou no cartão de crédito em até parcelas. Para saber mais sobre as expedições, acesse www.vivala.com.br e baixe os roteiros completos.

Sobre a Vivalá

Referência em Turismo Sustentável do Brasil, atua há sete anos realizando expedições profundas em áreas protegidas e regiões metropolitanas brasileiras, sempre unindo a preservação ambiental dos biomas do país à troca cultural com comunidades tradicionais indígenas, ribeirinhas, quilombolas, sertanejas e entre diversos grupos sociais.

A Vivalá recebeu 12 prêmios e reconhecimentos nacionais e internacionais importantes em sua trajetória, sendo convidada para compor a rede Young Leaders of America do Departamento de Estado Americano, premiada dois anos consecutivos como uma das organizações mais sustentáveis do Brasil pela ONU, Organização Mundial do Turismo e Braztoa, além de ter sido escolhida pela Fundação Grupo Boticário, Aceleradora 100+ da Ambev e PPA, e iniciativa global da Yunus & Youth para fazer parte de seus programas de aceleração para negócios de impacto socioambiental.

Até o final de 2022, a Vivalá já realizou mais de 100 expedições em grupo com 1.700 viajantes de 11 países, somando 8.096 horas de voluntariado em suas viagens de volunturismo, além de ter injetado mais de R$ 1,5 milhão em economias locais através da compra de serviços de base comunitária. Mais informações, acesse www.vivala.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *